coletivo_espectro

COLETIVO ESPECTRO

Carolina Perini: Guitarra
Idealizadora do Núcleo In Pulsar, iniciou seus estudos musicais em violão popular e ingressou no curso de música da Faculdade Cantareira, onde teve aulas de guitarra com Djalma Lima e teve contato com a música de concerto. Na música erudita foi aluna de composição de Celso Mojola e de violão de Camilo Carrara. Apreciadora da música contemporânea, frequentou os cursos de Fundamentos do Áudio e Acústica, Pro Tools e Efeitos pra Mixagem no IA&V. Produtora, educadora e instrumentista, se dedica à música desde 2007, tendo atuado em trabalhos como: contrabaixista do musical Ninguém Entende, arranjadora e instrumentista para eventos musicais da UNIMED e responsável pela composição da trilha sonora da série Nós Urbanos.

Fernanda Fernandes: Live Images
Tendo trabalhado como assistente de direção de diretores como Fernando Meirelles, em 2011 é convidada a assinar o longa-metragem “Quebrando o Tabu, como diretora assistente. Logo após, dirige o clipe da música “A Visita” do cantor SILVA, com mais de 1 milhão de views no youtube. No fim de 2012, é convidada para o Festival de Veneza com o curta “Cine Rincão”, co-dirigido por ela. Em 2014, é selecionada para uma residência artística no MIS com o curta “Depois Daquele Trem”. Em 2015, lança o projeto “2por1”, com a gravação de live sessions com artistas como Rubel, Blubell e O Bardo e o Banjo. No mesmo ano, dirige na França o curta “Retratos Anônimos”, selecionado para o 27o Festival Internacional de Curtas de São Paulo e Mostra Sesc de Cinema.
Em 2016, inicia suas experimentações em Live Cinema.
Em paralelo, passa a desenvolver projetos com arte generativa e poetic coding, como as web artes “Metrópole” e “Geometria Interativa”. É selecionada para o SSA Mapping (Salvador, BA), com o VideoMapping “Blocks”. Faz parte também do duo “Instant Error”, voltado à Glitch Art.

Raquel Abdian: Sintetizadores
Arquiteta e urbanista de formação, profissão em atividade. Musicista de nascença, multi-intrumentista, que envolve anos de estudo de teoria musical, piano, órgão, violão erudito e guitarra. Ouvido em ininterrupta atividade. Ênfase de interesse atual em experimentações com sintetizador Moog e Ableton Live.

O Coletivo Espectro surgiu do encontro da cineasta Fernanda Fernandes, da musicista e produtora musical Carolina Perini, e da musicista e arquiteta Raquel Abdian e de seus respectivos ideais artísticos, e do anseio de trabalhar a multidisciplinaridade do espectro das artes visuais e sonoras de forma abrangente e integrada. A fim de explorar este universo, o coletivo passou a experimentar algumas possíveis vertentes da união destas expressões artísticas. Com a performance Distopia, se apresentou no FIG – Festival de Garanhuns 2017, no Perfídia – Festival de Performances e Novas Mídias, na Virada Cultural dentro do AVAV, no Flõ – Festival do Livre Olhar e na Maratona de Performances II, da Dahaus.

AVAV41 Virada Cultural: Distopia + AVAV42 SPNARUA: Distopia